SEGURO OSSOS PROTEGIDOS ITAÚ

SEGURO OSSOS PROTEGIDOS ITAÚ

O Seguro Ossos Protegidos Itaú é o produto necessário para garantir o conforto em todas as horas que você precisar. Com o seguro, saiba que você recebe um valor para usar como quiser em casos de acidente ou de alguma fratura óssea. São diversas vantagens que você desfruta ao contratar o seguro do Itaú, um produto repleto de benefícios para seus usuários.

Vale citar que você ainda pode usar o seguro como um complemento para o seu plano de saúde, seja para a compra de medicamento ou para outros cuidados que os planos não oferecem cobertura. O produto do Itaú oferece vários benefícios além da proteção óssea, como por exemplo, a garantia por morte acidental.

Saiba que a sua família ou quem você indicar ganha o valor que consta no contrato do produto, em casos de mortes acidentais, como ocorridos no trabalho ou em assaltos, por exemplo. E o melhor de tudo é que o assegurado ainda concorre a prêmios no valor de 10 mil reais pela extração da Loteria Federal todos os meses.

Ou seja, além de todos os benefícios ofertados pelo seguro, você tem a chance de ganhar 10 mil reais nos sorteios mensais realizados pelo Itaú. Os planos podem ser contratados a partir de R$ 18,90, tanto por jovens quanto por idosos. O plano é ideal para pessoas de 18 a 80 anos de idade.

Vale lembrar que o valor máximo da indenização é de acordo com o valor da cobertura contratada pela pessoa. No site, citado logo abaixo, você pode conferir a tabela das indenizações por tipo do osso que foi fraturado. Acesse o site agora mesmo e confira todas as informações sobre o Seguro Ossos Protegidos Itaú. Contrate o seu seguro Itaú e concorra a prêmios mensais que podem mudar a sua vida ainda para melhor!

SEGURO OSSOS PROTEGIDOS ITAÚhttps://lojadesegurositau.com.br/seguro-ossos-protegidos

SEGURO POPULAR – COMO FUNCIONA?, SEGURO MAIS BARATO PARA CARROS

SEGURO POPULAR - COMO FUNCIONA?, SEGURO MAIS BARATO PARA CARROS

SEGURO POPULAR – O governo vem facilitando a compra de veículos com a redução do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados, mas na hora de fazer um seguro para o carro os brasileiros ainda se deparam com os seus altos valores. Nesse sentido, está em vias de ser lançado o que será chamado de Seguro Popular, que consiste em oferecer seguros com valores de 25% a 30% mais baratos do que o praticado hoje em dia.

A previsão é que a proposta do Seguro Popular atinja 20 milhões de proprietários de automóveis com mais de cinco anos de idade e que ainda estejam desprotegidos. Em outras palavras, o Seguro Popular significa que um contrato de R$ 1,5 mil ficaria em torno de R$ 1 mil. Com isso, a ideia é de que a cobertura nacional passe de 25% para 40%. Por outro lado, para conseguir o novo seguro o salário do cliente não estará atrelado ao valor do serviço.

A proposta do Seguro Popular é também uma forma das seguradoras aumentarem a sua carta de clientes, que poderia ser muito maior. Atualmente, 54 milhões dos 73 milhões de carros (75% da frota) não possuem nenhum tipo de seguro. A diminuição do valor será viável com a permissão de utilizar peças usadas, no caso de necessidade de reposição, porém, devidamente certificadas com a aprovação do Inmetro – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia e em condições de reutilização.

A redução vai implicar, ainda, na exclusão de alguns serviços comuns aos seguros completos existentes atualmente. Para funcionar Seguro Popular, as seguradoras terão que criar novos produtos a partir do que for regulamentado pelo governo, além de ser analisado pelo pela Susep – Superintendência de Seguros Privados. A partir da nova regra, serão avaliadas quais peças poderão ser trocadas, além da necessidade do governo fazer uma regulamentação para o mercado de venda de peças usadas.

A formatação da nova modalidade de seguro também irá mudar, para suprir melhor as necessidades dos clientes que se pretende conquistar, como seguros combos, em que mais de um serviço é oferecido.Junto a isso, as seguradoras também reivindicam junto ao governo federal a diminuição do IOF – Imposto sobre Operações Financeiras – outro responsável pelo alto valor das franquias, embora essa luta pareça ser ainda mais difícil.

O assunto está em discussão há algum tempo e, agora, com algumas regras já apontadas, a previsão é que em breve elas sejam colocadas em consulta pública, para que as seguradoras opinem sobre o tema. A previsão é que o novo seguro vigore até o final do primeiro semestre de 2013.

COMO USAR O SEGURO DE CASA EM UMA EMERGÊNCIA

COMO USAR O SEGURO DE CASA EM UMA EMERGÊNCIA

Saber como usar o seguro de casa em uma emergência é essencial quando você contratou o serviço. Antes de conferir as nossas dicas, certifique-se de que o problema ocorrido esteja previsto no contrato com a empresa seguradora. Em geral, os seguros básicos costumam cobrir casos de incêndio, roubo/furto e danos elétricos.

Veja como usar o seguro de casa em uma emergência

Para acionar o seguro de casa em uma emergência, o primeiro passo é fazer um boletim de ocorrência. Esse documento, que deve ser realizado na delegacia de polícia mais perto de sua casa, serve como prova do ocorrido e será entregue uma cópia para a seguradora.

Independente do problema que ocorreu na sua residência, deixe tudo como está, nada de ficar arrumando ou limpando a bagunça. É muito importante deixar a casa intacta para quando a seguradora avaliar o lugar e considerar todos os danos. Assim, ela verá melhor quais foram os estragos e só depois poderá liberar a indenização prevista no contrato. Claro que, por isso mesmo, é necessário contatar a seguradora logo depois que você tiver o boletim de ocorrência em mãos.

O mais comum é ligar para a central de atendimento da seguradora ou para o próprio corretor que vendeu o seguro. Há também a Internet para comunicar o ocorrido, mas use o método que achar mais prático e que ofereça maior agilidade. Tenha em mãos o número da apólice, é bem provável que o funcionário do atendimento pergunte isso pois no momento da ligação.

Os documentos do seu seguro sempre devem estar à mão, em um local seguro. Assim, ao precisar deles, você já sabe onde procurar. Além dos seus documentos pessoais ou da pessoa que contratou o seguro e que reside com você, como RG, CPF e comprovante de residência, a papelada do seguro vai depender do tipo de contrato que você possui.

Em caso de incêndio ou explosão, por exemplo, além do boletim de ocorrência policial, você vai precisar de laudo do corpo de bombeiros, lista dos objetos que foram consumidos pelo fogo ou que sofreram avarias durante o desastre, bem como a nota fiscal dos itens cobertos pelo serviço e a escritura do imóvel.

Já em caso de roubo ou furto, além do boletim de ocorrência, o seguro vai exigir a lista do que foi roubado e o valor do prejuízo, bem como a nota fiscal dos objetos que estavam cobertos pelo seguro. Quando você precisa usar o seguro de casa em uma emergência em que há impacto de veículos, além do boletim, costuma-se exigir lista do que foi lesado pela colisão, assim como a nota fiscal dos mesmos, desde que cobertos pelo seguro.

Por fim, em caso de danos elétricos, é preciso apenas da lista do que foi queimado e das suas respectivas notas fiscais. Ao saber como usar o seguro de casa em uma emergência, você conseguirá agir de maneira mais eficaz e prática nessas situações.

TIPOS DE SEGURO PARA EMPRESAS

TIPOS DE SEGURO PARA EMPRESAS

No mercado, há diferentes tipos de seguro para empresas, sendo que na hora de escolher por uma dessas opções, o empresário deve avaliar qual deles tem mais condições de suprir as suas necessidades. Além disso, é preciso se lembrar de que alguns seguros são obrigatórios por lei e, por isso, não tem como fugir deles.

Confira os tipos de seguro para empresas

Conforme o seu ramo de atuação, os seguros obrigatórios são aqueles que protegem a sua empresa contra perdas ou agravantes provocados aos seus bens ou ao negócio devido a motivos adversos. Nesse sentido, existem coberturas que podem abranger os bens, como prédios e conteúdos, quebra de máquinas, roubo, valores, obras civis, descumprimento de contratos, mercadorias em trânsito, veículos automotores, despesas fixas, lucros cessantes e seguro de crédito.

Existem também os seguros que cobrem as responsabilidades civis da empresa contratante, quando ele provocar, por acidente ou de modo involuntário, prejuízos ou danos a terceiros ou aos seus bens. Eles são os chamados RC, ou seja, seguros de responsabilidade civil, previstos na legislação. Alguns exemplos são os seguros de RC dos transportadores em geral, RC do transportador aeronáutico, RC do construtor de imóveis em zonas urbanas, bem como o DPVAT, que significa Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, ou por sua Carga a Pessoas Transportadas ou Não da frota de veículos da empresa.

Além desses tipos de seguro para empresas, podem ser necessários outros de RC, como RC de produto, RC de guarda de veículos de terceiros, RC de estabelecimentos comerciais/industriais, RC do empregador, RC de prestação de serviços em locais de terceiros, além do RC de obras civis e/ou serviços de montagem e instalação de máquinas e/ou equipamentos.

Entre os tipos de seguros empresariais, existem ainda os que protegem o empregador e seus funcionários, cobrindo tanto consequências de doenças sérias, como lesões e até morte, e contra as sequelas que esses episódios podem ter sobre as respectivas famílias e a própria empresa.

Exemplos dessa modalidade de seguros são os de acidentes pessoais e doenças; de proteção de renda; de vida empresarial; de saúde empresarial; e plano de previdência empresarial. Todos os tipos de seguros para empresas são oferecidos com diferentes tipos de coberturas, visando a adequação ao tamanho e ao ramo da companhia em questão.

Uma modalidade de seguro empresarial são as apólices oferecidas de forma combinada, em pacotes, que recebem o nome de multirriscos. Dessa forma, esses seguros abrangem diferentes coberturas contra muitos dos riscos a que as empresas estão sujeitas, tornando-se um tipo de apólice personalizada.

Já na hora de escolher a seguradora, é preciso pesquisar os diferentes produtos e preços, pois eles não são tabelados. Quanto às exigências, tanto o corretor quanto a seguradora devem estar legalmente autorizados a operar. Para se certificar disso, faça uma pesquisa no site da Superintendência de Seguros Privados (Susep) ou na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Assim, você terá condições de selecionar o melhor seguro para sua empresa.

QUANDO CONTRATAR SEGURO PARA VIAGEM

QUANDO CONTRATAR SEGURO PARA VIAGEM

Quando contratar seguro para viagem? Taí uma dúvida que costuma aparecer na hora em que as pessoas estão organizando o seu passeio. Também surge a pergunta sobre a diferença do seguro e da assistência viagem, o que vai ser fundamental entender para ter uma viagem segura.

Vale dizer que a principal diferença é que enquanto o seguro-viagem reembolsa as despesas que o turista tiver e que estejam previstas na apólice, a assistência viagem fornece uma rede conveniada, podendo incluir clínicas, hospitais, medicamentos e mesmo guias turísticos e informações. Além disso, é possível ainda encontrar seguro-viagem com assistência-viagem e vice-versa.

Outra questão sobre quando contratar seguro para viagem diz respeito à existência de países que exigem que os turistas ou mesmo estudantes tenham um seguro ou assistência-viagem ao longo da sua estadia no país. É o caso de países da Europa, onde se exige, em praticamente todas as nações, um seguro-viagem do turista, bem como uma cobertura mínima de 30 mil euros.

Por isso, além da Europa, informe-se sobre cada países de destino, como a Austrália, onde o seguro-saúde também é obrigatório aos visitantes estrangeiros. Já quem pretende ir para Cuba deve saber que é preciso ter um seguro-viagem, sendo que os brasileiros que não providenciarem o documento antes da viagem poderão adquiri-lo no aeroporto de Havana, capital cubana. Já na hora de viajar com um pacote turístico, você deve verificar se o seguro para a viagem está incluído ou não, pois se não estiver, é preciso contratar o serviço separadamente. Isso pode ser feito na agência mesmo ou em uma corretora.

Dicas sobre quando contratar seguro para viagem

Antes de contratar seguro para viagem, verifique se no pagamento da passagem aérea, caso tenha sido realizado com cartão de crédito, já não está incluso o serviço, assim, não será necessário se preocupar com isso. Além disso, está no Código de Defesa do Consumidor (CDC), que a partir do check-in, seja na rodoviária ou no aeroporto, a empresa é responsável pela bagagem dos passageiros, que deverão ser indenizados se suas malas sofrerem danos ou forem extraviadas.No entanto, como isso pode se tornar burocrático, a vantagem do seguro é que ele oferece um determinado valor no ato para os primeiros gastos pessoais, sendo reembolsados logo em seguida.

Outra forma de saber quando contratar seguro para viagem é fazer contato com o consulado do país onde você vai desembarcar, mesmo quando você estiver viajando com uma agência, para evitar informações desencontradas.

Já o preço do seguro-viagem depende do tipo de cobertura contratada e o número de dias da sua estadia no exterior. Além de despesas médicas, hospitalares e mesmo odontológicas, é possível que o seguro ofereça diárias por atraso de voo, danos de bagagem, perda ou roubo de malas, entre outros.

Portanto, quando mais informado você estiver, melhor será o uso do seguro de viagem.

COMO ESCOLHER O MELHOR SEGURO DE VIDA

COMO ESCOLHER O MELHOR SEGURO DE VIDA

Como escolher o melhor seguro de vida? Você já pesquisou sobre esse assunto? Já sentiu necessidade de contratar o serviço ou está justamente nesse dilema? Não sabe o que levar em consideração na hora de escolher o serviço? Já que o principal objetivo de quem contrata um seguro de vida é garantir um mínimo de estabilidade financeira para sua família, é bastante comum que a escolha seja feita depois que os filhos nascem.

Porém, com tantas opções, pode ficar difícil saber qual o melhor seguro de vida e o que ele deve oferecer para ser realmente seguro. Por isso, na hora de escolher uma seguradora, é preciso avaliar o custo benefício de cada proposta e o que realmente é oferecido. Também é importante que o serviço supra as necessidades da família, ou seja, que seja quase personalizado, e não disponha de itens que certamente não correspondem à sua realidade.

As três modalidades mais comuns de seguro de vida são a individual, de grupo e dotal. Enquanto a segunda opção é oferecida para empresas, sindicatos e outros tipos de grupos, a total é quando existe o resgate. O seguro de grupo costuma ter custos reduzidos para funcionários, bem como garantias iguais para os segurados, mas não dispõe de resgate.

Já no seguro de vida total, o recebimento da indenização está relacionado com a saúde do segurado durante o prazo de vigência do contrato. Mesmo que ele morra antes do previsto pelo seguro, os beneficiários recebem o dinheiro. Os seguros individuais costumam ser os mais flexíveis e, por isso, os preferidos de quem pode investir no serviço. Com ele, o segurado escolhe a abrangência do seu contrato, podendo ser por indenização por morte ou invalidez, entre outras situações.

Dicas de como escolher o melhor seguro de vida

Na hora de saber como escolher o melhor seguro de vida, é preciso levar em consideração o que cada tipo de apólice oferece. Se, por exemplo, o seguro abrange indenização somente se houver casos de acidentes que deixem o segurado inválido parcial ou totalmente, mas ele morrer por causa natural, o direito ao seguro termina.

Também é preciso ser transparente com a seguradora na hora de fazer o contrato, sem esconder doenças pré-existentes, pois se a morte for causada por um desses problemas, a seguradora tem o direito de negar o benefício.

Além disso, as empresas também apostam em modalidades diferenciadas, como é o caso de seguradoras que dispõem de um contrato para mulheres, que contam com indenização total do valor da apólice nos casos de doenças como câncer de ovário, útero e mama.

Também vale à pena avaliar se está em tempo de fazer um seguro de vida. Pessoas com mais de 60 anos, por exemplo, ao contratar o serviço, vão pagar caro por ele. Uma dica, já que a questão é a segurança da família, é aplicar o dinheiro em fundos de investimentos de curto prazo.

Agora é só escolher o modelo de seguro de vida mais adequado para sua situação.

 

O QUE FAZER AO TER PROBLEMAS COM SEGURADORAS

O QUE FAZER AO TER PROBLEMAS COM SEGURADORAS

Na hora de pensar em terem um seguro, muitas pessoas pensam o seguinte: o que fazer ao ter problemas com seguradoras? Mesmo tendo todos os cuidados na hora de contratar o serviço, ninguém está totalmente livre de se tornar uma vítima do mau atendimento das seguradoras quando mais se precisa delas.

Veja o que fazer ao ter problemas com seguradoras

De forma geral, independente se o seu seguro for de carro, de vida, empresarial, residencial ou qualquer outro, a primeira coisa a fazer quando tiver um problema com a seguradora ou mesmo com o corretor de seguros é contatar a ouvidoria da empresa. Nos sites das seguradoras, costuma-se ter um link para contatar a ouvidoria ou mesmo um telefone.

No entanto, se o problema não for resolvido ao conversar com a ouvidoria da sua empresa de seguros, o passo seguinte consiste em entrar em contato com o Programa Estadual de Defesa dos Consumidores, o PROCON. Outra forma de resolver o problema com a seguradora é contatar a Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Você também pode reclamar sobre problemas do seu seguro com entidades de consumidores. Nesse caso, entretanto, você deve ser sócio da mesma para poder realizar o reclame. Uma delas é a Proteste Associação de Consumidores, outra opção é o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC).

Os canais de comunicação para pedir ajuda quando existem situações a serem resolvidas com seguradoras são variados. Todavia, quando a sua reclamação se torna pública, curiosamente, a empresa pode resolver o seu problema mais rapidamente. Nesse sentido, existem sites que ajudam clientes insatisfeitos com muita eficiência, como o Reclame Aqui.

Por outro lado, na hora de saber o que fazer ao ter problemas com seguradoras, é importante que você esteja a par do funcionamento do seu seguro, sabendo exatamente como ele funciona e quais as suas coberturas. Isso vai evitar que você reclame de um serviço que, na realidade, está fazendo apenas o que você contratou.

Mesmo assim, não são raras as situações em que os consumidores se incomodam com as empresas de seguro. Uma situação bem comum são com os seguros de carro, quando a seguradora se nega a pagar por algum dano no veículo segurado. Para evitar isso, o melhor é se certificar de que a empresa escolhida é de confiança e que esteja licenciada junto à Susep para atuar no ramo.

Outros cuidados para evitar problemas com seguradoras é ter o hábito de guardar qualquer tipo de comprovação de bens segurados, como manuais, notas fiscais, controles remotos e fotografias dos equipamentos. Assim, em situações de roubo, por exemplo, é mais fácil para você comprovar a existência do bem segurado ou de como era a sua aparência original, se tiver problemas com a empresa de seguros.

Siga as nossas dicas para garantir menos estresse com seguros.

CUIDADOS AO CONTRATAR SEGURO PARA A EMPRESA

CUIDADOS AO CONTRATAR SEGURO PARA A EMPRESA

Assim como na contratação de qualquer serviço, os cuidados ao contratar seguro para a empresa são fundamentais. Embora os seguros sejam sinônimo de tranquilidade para você, sua família, sua empresa e outros beneficiários, você não pode deixar que a preocupação em contratar o serviço passe por cima da sua ponderação e bom senso nessa hora.

Veja os cuidados ao contratar seguro para a empresa

O primeiro passo é verificar se o corretor de seguros que você escolheu para negociar está licenciado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o que vai garantir não apenas a sua idoneidade, mas também que ele está legalizado a vender o produto a você. O mesmo você deve fazer com a seguradora escolhida, que deve estar autorizada a atuar no ramo dos seguros.

Para escolher uma empresa de confiança no mercado, tradição e experiência, uma dica é consultar também o cadastro de reclamações junto ao Programa Estadual de Defesa dos Consumidores, o famoso PROCON. Veja se existem reclamações sobre o trabalho da empresa e se é uma boa opção para vender o seguro a você.

Outra dica para garantir um bom negócio e evitar possíveis dores de cabeça sobre os cuidados ao contratar seguro para a empresa é nunca emitir cheques pré-datados, sendo que o melhor jeito de realizar pagamentos a seguradoras é por meio de boletos bancários. Além disso, antes de assinar qualquer contrato, leia ele todo atentamente. Acredite, não é perda de tempo, pois isso vai permitir que você saiba como funciona o mesmo e esclarecer possíveis dúvidas. E mais, sempre peça uma cópia da proposta do contrato do seguro para ter em mãos quando necessário. O mesmo serve para quando você fechar negócio; exija uma cópia de todo o contrato.

Vale ter atenção e cuidados redobrados com o corretor de seguros escolhido para negociar a contratação de um seguro empresarial. Além de estar cadastrado na Susep, é preciso que você sinta confiança no sujeito, bem como perceba que ele é um profissional que entende do assunto, que conhece o ramo e que realmente está sendo útil em buscar as melhores opções para o que você precisa.

É importante que ele seja transparente e que esclareça todas as suas dúvidas. Mesmo assim, quando você tiver a sua apólice em mãos, confira todos os dados, se estão de acordo com o combinado e se as suas informações pessoais e/ou da sua empresa estão corretas, para evitar problemas futuros.

Dessa forma, cheque se estão corretas as coberturas contratadas, a franquia, os valores segurados, o custo do serviço, o carnê de pagamento, o cartão da Assistência 24 horas, entre outros elementos. Aliás, tenha uma atenção redobrada para a cláusula da Assistência 24 horas, quando ela for contratada. Esse serviço é um dos mais utilizados e, por isso, você deve certificar-se de que está tudo certo, além de manter o número do telefone da assistência em um lugar visível na sua empresa.

Agora é só aproveitar os benefícios do seguro empresarial, considerando os cuidados acima.

COMO ESCOLHER A COBERTURA DO SEGURO PARA A EMPRESA

COMO ESCOLHER A COBERTURA DO SEGURO PARA A EMPRESA

Para saber como escolher a cobertura do seguro para a empresa, é importante que você avalie quais são as necessidades que ela possui. Ao conhecer as modalidades de seguro empresarial, você será capaz de escolher o seguro ideal para a sua situação.

Dicas de como escolher a cobertura do seguro para a empresa

Em geral, uma cobertura básica de seguro engloba danos causados por incêndio, explosão e fumaça, abrangendo os danos materiais provocados por essas situações, independente de como tenham se iniciado. Essa cobertura básica também cobre os danos promovidos por fumaça derivada de problemas no funcionamento de um dos equipamentos da empresa. O mesmo funciona quando a fumaça tem como origem um incêndio que iniciou fora do terreno onde o estabelecimento está funcionando.

Além da modalidade básica, existem os tipos de cobertura do seguro para a empresa que são opcionais. Entre as modalidades, uma cobertura é a referente a danos elétricos, abrangendo agravantes às instalações, máquinas ou equipamentos eletrônicos ou elétricos, acarretados por queda de raio, curto-circuito ou variação de tensão. Outra modalidade opcional é a cobertura de vendaval/impacto de veículos, incluindo destelhamento por vendaval e danos a portões por colisão de veículo.

A cobertura de quebra de vidros oferece a instalação de vidros que sofreram avarias em prateleiras, balcões e janelas, além de troca de espelhos planos. A cobertura opcional também pode ser contra contaminação e deterioração de mercadorias em ambientes frigorificados, garantindo o ressarcimento dos prejuízos provocados por perdas devido a produtos e materiais armazenados em ambientes frigorificados.

Há também as seguintes coberturas opcionais: de sprinklers, referente a prejuízos por causa de derrames de água ou outra substância de forma acidental em chuveiros automáticos (sprinklers); lucros cessantes, que cobre a perda do lucro bruto da empresa; despesas fixas, que abrange o pagamento de contas como salário, luz, água e outros; tumultos, quando ocorrem danos ao imóvel provocados por greves ou tumultos; e muito outros.

As coberturas adicionais dos seguros empresariais são bastante específicas, tornando-se fácil para o empresário identificar quais podem ser úteis ao seu negócio. Além disso, existe um seguro empresarial chamado de multirrisco, que conta com uma cobertura maior, abrangendo o patrimônio da empresa contra eventuais danos que podem atingi-lo, podendo ser sobre os bens materiais, como equipamentos, móveis e outros, ou sobre valores em espécie, documentos, etc.

Assim, o empresário tem a opção de conjugar diferentes coberturas em sua apólice. Além disso, existem os seguros CR, de responsabilidade civil, que são obrigatórios para algumas empresas, conforme o seu ramo de atuação. É o caso do seguro de responsabilidade civil contra prejuízos causados a terceiros, resultantes de atividades realizadas dentro da empresa.

Entre muitos outros, existe ainda o seguro de responsabilidade civil que abrange a guarda de veículos de terceiros, cobrindo prejuízos quando estiverem sob a guarda do segurado em decorrência de incêndio, colisão ou roubo.

Pronto, agora você já sabe como escolher a cobertura do seguro para a empresa!

DOCUMENTOS PARA UM CONTRATO DE SEGURO

DOCUMENTOS PARA UM CONTRATO DE SEGURO

Na hora de fechar negócio com uma seguradora, existem vários documentos para um contrato de seguro que entram na jogada. Além disso, cada um desses documentos possui vida útil distinta, bem como tramitação específica. Tudo isso forma o contrato de seguro, que mais se assemelha a um livro, pois conta com muitas páginas, todas numeradas.

Confira os documentos para um contrato de seguro

Um dos documentos do contrato de seguro é a parte das condições gerais, que costuma ser parecida com as cláusulas de outros contratos do mesmo segmento. Já os documentos que variam conforme o cliente e o que ele busca são aqueles em que existe a descrição dos bens segurados, além dos dados pessoais do segurado. Essa parte fica anexada ao contrato, constituindo-se como a apólice. Além das condições gerais e da apólice, outro instrumento dos contratos de seguro é a proposta.

Quanto aos documentos que são opcionais na hora de fechar negócio, estão as condições especiais, as condições particulares e o endosso. Já nas condições, sejam elas as gerais, particulares ou especiais, estão todas as cláusulas do contrato, menos aquelas que caracterizam o bem segurado e/ou o indivíduo segurado.

Para dar maior segurança ao procedimento, a elaboração das condições é supervisionada pela entidade que regula a atuação das empresas de seguros e dos corretores, a Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão do Ministério da Fazenda. É essa a entidade que depois torna o contrato público, ou seja, é responsável por publicá-lo no Diário Oficial da União.

Vale lembrar que depois que o contrato para seguro se torna público, não se pode mudar nada e significa que ambas as partes concordam com o que foi estipulado. Caso seja necessário e ambas as partes concordem em alterar alguma cláusula, é necessário, então, um novo documento, geralmente a apólice com uma cláusula que complementa ou altera uma informação do contrato.

Já quanto à proposta de seguro, é um documento que aparece antes do fechamento do contrato, caracterizando-se pela intenção de efetivar o contrato do seguro, mas tratando o futuro segurado ainda como proponente. Esse documento sempre deve estar presente na negociação, pois se trata da proposta por escrito, a qual também deve ser protocolada pela seguradora.

Por sua vez, a apólice de seguro aparece em cena quando o segurado aceita as condições presentes na proposta. Assim, torna-se formal o compromisso da empresa de seguro em seguir todas as obrigações que estão nas cláusulas contidas nas condições e na proposta.

Por fim, o documento chamado endosso se refere às alterações do contrato, caso elas sejam necessárias durante a negociação. Mesmo uma simples mudança no telefone do cliente, que deve constar no contrato de forma correta, precisa ser registrada no endosso.

Assim, é só se informar bem para separar os documentos para um contrato de seguro.

COMO ECONOMIZAR NO SEGURO DO CARRO

COMO ECONOMIZAR NO SEGURO DO CARRO

Na hora de escolher um seguro para o seu automóvel, todo cuidado é pouco. Pensando nisso, preparamos 6 dicas para economizar no seguro do carro, que irão ajudar você a levar em consideração os pontos mais relevantes, a fim de evitar erros de economia ligados ao seguro do seu veículo.

Veja 6 dicas para economizar no seguro do carro

1. Pesquisar em várias seguradoras

Como existe um grande mercado para as seguradoras explorarem, pode variar muito o valor do seguro, de acordo com a empresa escolhida. A cada ano, as apólices tendem a reduzir até 20% do que no ano anterior. Então, é possível economizar no seguro do carro ao pesquisar por todas as opções disponíveis.

2. Aproveite bem o corretor

O corretor é um profissional que sempre está presente na hora de escolher um seguro, mesmo que você faça a aquisição por meio de uma agência bancária. Por isso, é importante torná-lo seu aliado na hora de contratar uma seguradora. Como o corretor é um consultor, ele deve ajudar você a buscar o seguro mais adequado às suas necessidades, deixando o seguro personalizado.

3. Avalie o que é importante

A tendência do mercado das seguradoras é que elas ampliem o seguro automotivo e ofereçam uma gama de outras facilidades, mas que vão aumentar o preço do seu seguro. Sendo assim, por mais que os extras sejam atraentes, como despachante gratuito, desconto em estacionamentos, serviços de eletricista, encanador e chaveiro, conserto de eletrodomésticos e outros, é indispensável avaliar bem se é realmente necessário o adicional em questão.

4. Instalação de rastreador

A instalação de rastreador é uma das 6 dicas para economizar no seguro do carro, pois com um rastreador de veículos, é possível baixar o seu risco e, por consequência, o valor do seguro, sendo que algumas seguradoras oferecem a instalação gratuita do aparelho.

Além dessas vantagens, o preço do seguro pode reduzir até 20%, uma vez que mesmo depois que o carro é roubado, o rastreador de veículos evita que o seu automóvel desapareça em desmanches ilegais.

5. Conhecer os seus ricos

Os riscos são os grandes influenciadores do valor do seu seguro, logo, é importante identificar cada um dos riscos. Uma Mercedes, por exemplo, mesmo com alto valor de mercado, é um carro pouco visado por ladrões, já que não possui peças de reposição. Outro carro que pode ficar sem seguro ou ter apenas uma modalidade básica é o terceiro veículo de uma família, usado há muitos anos nos dia de rodízio em São Paulo.

6. Atente para os seguros de banco

Embora a situação tenha mudado, é preciso ainda atentar na hora de adquirir um seguro para o seu carro por meio de um banco. Antigamente, era comum que se pagasse caro por um produto ruim, pois as seguradoras associadas aos bancos tinham uma clientela certa. Hoje, além das seguradoras próprias, os bancos redistribuem produtos de outras seguradoras, resultando em melhores negócios. Mesmo assim, é preciso prestar atenção nos confortos proporcionados, que podem camuflar preços altos e apólices ruins.

Pronto, agora você sabe como economizar com seguros de carros.

COMO ESCOLHER SEGURO RESIDENCIAL

COMO ESCOLHER SEGURO RESIDENCIAL

O mercado oferece diferentes tipos de seguro que visam proteger bens e matrimônios, que podem variar bastante, sendo casas, apartamentos, habituais, de veraneio ou até mesmo o prédio em si e os bens que estão dentro dele. Para saber qual a melhor opção do mercado para suas necessidades, você deve saber como escolher seguro residencial.

Ao colocar em práticas as nossas sugestões de como escolher seguro residencial, você evitará inconvenientes e arrependimentos, afinal, esse tipo de decisão requer muita cautela. Quanto mais você pesquisar, melhor será a chance de conseguir o seguro mais apropriado para suprir as suas necessidades.

Veja como escolher seguro residencial

Verifique as características de cada tipo de cobertura, o tipo de proteção que é oferecida e quais são os direitos do beneficiário, na prática. Confira também qual é a franquia de cobertura, que é a parcela do prejuízo que precisará ser arcado pelo próprio segurado, ou seja, um valor que, em caso de perda parcial de bem, o segurado precisará arcar.

Informe-se sobre qual é o tipo de procedimento padrão nos casos de sinistro, quando ocorre algo que foi previsto já no contrato, ficando informado sobre detalhes do recebimento da indenização desde o início. Se fechar mesmo o seguro com alguma seguradora, confira quando sua apólice passará a valer.

Na hora de contratar, tenha em mente que a inclusão de bens eletrônicos, como aparelhos de som, de DVD e computadores na cobertura do seguro, torna a apólice mais cara do que se for incluído apenas o mobiliário básico (sofá, fogão, geladeira, etc..). Isso porque bens eletrônicos são mais visados em roubos e têm uma depreciação (perda de valor) mais acelerada.

No caso de seguro de casas, estime a cobertura básica de incêndio com verba suficiente para a reconstrução do imóvel e a reposição de seu conteúdo. Você não precisa considerar o valor total do imóvel, pois o terreno não pega fogo.

No caso de apartamentos, antes de contratar um seguro para o seu apartamento, verifique as coberturas presentes na apólice do condomínio, para evitar pagar duas vezes a mesma coisa. É dever do administrador de um condomínio, conforme previsto no Código Civil – Lei nº 10.406 (art. 1.346), a contratação de seguros que cubram danos à estrutura do prédio contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial.

Se você mora em edifício, saiba que é possível fazer um seguro coletivo para os bens que você possui em seu apartamento. Nesse caso, o preço sai bem mais em conta, mas isso só compensa se os seus vizinhos segurarem valores semelhantes aos seus. Atenção: existem casos em que a cobertura de incêndio é oferecida num seguro junto à fatura do condomínio ou à conta de luz. Sendo assim, você pode estar pagando duas vezes por algo que já está previsto na apólice do condomínio.

Avalie se você precisa de coberturas extras para enchentes, roubos, quebra dos vidros e até dos aparelhos eletrônicos que você tem em casa, o que pode estar na apólice. Antes de contratar, analise quais coberturas adicionais você quer ter, pois será cobrado mais caro por isso. A proposta traz o custo detalhado de cada uma das coberturas para você ver quais valem à pena. É importante saber que a seguradora pode se negar a fazer algum tipo de cobertura. Se você mora em uma região bastante atingida por chuvas, por exemplo, nem sempre terá essa proteção no seu seguro.

Pronto, basta levar nossas instruções em conta para escolher o seguro residencial.

COTAÇÃO DE SEGURO AUTO

COTAÇÃO DE SEGURO AUTO

Adquirir um carro no Brasil já é muito difícil, sendo muitas vezes necessário fazer financiamento, assumir parcelas altas e oferecer uma entrada gorda para conseguir cobrir os altos preços. E depois do pesadelo da compra, é a insegurança que domina o dono do veículo, que necessita realizar uma cotação de seguro auto para evitar surpresas.

Antes mesmo de fechar negócio com o corretor, verifique se ele oferece variedade de planos que lhe agradem, com seguradoras confiáveis e de renome. É preciso que o profissional tenha conheça a empresa e a estrutura das propostas e lembre-se de tirar todas as suas dúvidas. Depois de escolhido o corretor, saiba como fazer a cotação do seguro do seu carro e escolher o melhor plano:

Como fazer cotação de seguro auto

Na hora de escolher o valor da cobertura, você terá duas opções: o valor determinado, que é o que você escolhe para receber em caso de roubo e outros problemas, e o valor de mercado, onde se recebe o valor do carro segundo a tabela do mercado.

Com o mercado sempre aquecido e os preços subindo, é mais recomendável que o valor do acordo seja baseado no mercado mesmo, a base que é sempre utilizada é a da tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Algumas pessoas preferem economizar na cobertura optando por planos que cubram somente furto e roubo, mas esta economia pode sair cara, já que acidentes com colisão representam 70% do preço de um seguro, já nos casos de cobertura contra terceiros, o seguro fica 30% mais barato.

Embora existam alguns sites especializados em cotações, com a intenção de facilitar a transição pela internet como muitos outros serviços, é sempre recomendável não fazer negócio online e apertar as mãos pessoalmente com seu corretor. Você pode utilizar os recursos online para encontrar um bom corretor ou fazer simulações.

Informações necessárias para cotação

Não deixe para procurar as opções de seguro para seu carro depois que comprá-lo, principalmente se for zero-quilômetro. Busque fazer a cotação antes da compra, para saber qual o melhor modelo para que você possa dirigir com segurança e proteção.

Na hora de fechar o negócio do seguro, considere se a seguradora vai fornecer:

Apólice: Documento que a seguradora deve emitir para o segurado após a assinatura do contrato.

Sinistro: Ocorrência de prejuízo ao veículo.

Bônus: Desconto concedido ao segurado de acordo com as mudanças no seu histórico de sinistros.

Franquia: Parte do segurador em caso de reparo no carro.

Indenização: O valor que o segurado irá receber da seguradora em caso de perda total do automóvel.

Prêmio: Valor que o segurado paga à seguradora pelos benefícios e serviços prestados.

COTAÇÃO DE SEGURO DE MOTO

COTAÇÃO DE SEGURO DE MOTO

Seguro de moto bom é aquele que oferece as melhores coberturas e prêmios a um bom preço, que seja de preferência cabível ao seu bolso. Claro que isso não é tão fácil de encontrar, já que as seguradoras têm mantido preços e planos equivalentes, mas ainda assim é possível conseguir um bom seguro para sua moto para garantir a segurança e a assistência quando você precisar. A seguir daremos algumas dicas para ajuda-lo a fazer uma boa cotação de seguro de moto.

Para ter um bom seguro para sua moto você deverá optar por uma apólice com todas as coberturas que vão de encontro com suas necessidades. Apesar de a moto ser a mesma para muitos, há diversos perfis de motociclistas a serem explorados, cada um com suas necessidades, e para todos os casos, é preciso se sentir protegido.

Como fazer cotação de seguro de moto

– Peça simulações e orçamento:

Em cada seguradora que você visitar haverá diferentes pacotes e propostas a se aderir, todas tentando ser específicas para cada tipo de motociclista, como o urbano, o que utiliza a moto para o trabalho ou ainda o que a utiliza para viajar. Peça simulações para entender melhor como cada pacote poderá o beneficiar e como e quando você poderá recorrer a seguradora. Além disso, avalie se o valor para cobertura de danos vale a pena com o as mensalidades propostas a serem pagas.

– Danos contra terceiros:

O corretor com quem você negociará o seguro da moto deve saber a importância de um plano de responsabilidade civil, ou o “seguro contra terceiros” como também é chamado, para quem tem moto, que é a cobertura dos danos materiais e corporais involuntários de terceiros. Desse modo, se você causar danos em outros automóveis ou vice-versa, por menores que sejam, como aquela arrancada acidental do espelho retrovisor, terá a quem recorrer para resolver o problema.

– Pense nas perdas financeiras:

Lembre-se que as perdas de pequenas peças que são importantes para o bom funcionamento da sua moto e que, porém, são bastante caras, pode ocorrer de vez em quando. Por isso é bom estar preparado para estas eventualidades. Algumas seguradoras possuem oficinas que podem realizar trocas, ajustes e aplicações de novas peças para você, é preciso pedir isso na sua apólice também.

– Danos próprios:

É claro que é importante pensar nas suas perdas financeiras com a sua moto ou com o veículo de outra pessoa em caso de acidente, mas você também pode se machucar, e em uma moto, de forma até mais grave do que em um carro. Pensando nos usuários de motos, algumas seguradoras tem plano especiais para acidentes graves que podem cobrir o preço de possíveis cirurgias ou outros cuidados médicos. Verifique as condições durante as simulações e até que hospitais atendem ao plano.

WWW.SEGUROAMULETO.COM.BR – AMULETO SEGURO PREMIADO

WWW.SEGUROAMULETO.COM.BR – O Amuleto Seguro Premiado é um novo produto ofertado pela rede de recargas de aparelhos celulares e trata-se de um seguro contra acidentes pessoais, que pode ser adquirido em qualquer posto de venda da rede. Com apenas 3 reais o cliente compra seu seguro que cobre os eventos decorrentes de invalidez permanente total por acidente e morte acidental e ainda concorre a muitos prêmios durante toda semana. São muitas chances de ser contemplado com o produto de seguro!

WWW.SEGUROAMULETO.COM.BR - AMULETO SEGURO PREMIADO

Na eventualidade de acontecer quaisquer um destes eventos o beneficiário ou segurado vai ter direito a receber uma indenização no valor de 7,500 reais. Saiba que além das coberturas de seguro, você vai participar de 4 sorteios, sendo um sorteio por semana, no valor de 5 mil reais para o segurado e mil reais para a loja.

Você pode obter três apólices de seguro por CPF, sendo que a cada novo seguro você vai receber um novo número da sorte, para aumentar as suas chances de ser contemplado. Acesse o link http://www.seguroamuleto.com.br/pdvs.html e encontre o ponto de venda mais perto de sua casa, para a sua maior comodidade e adquira já o seu amuleto premiado.

No site oficial do Amuleto Seguro Premiado os clientes podem conferir maiores informações sobre o produto, como resultados, regulamento, dúvidas frequentes, ganhadores, datas dos sorteios, entre outros detalhes, para você ficar por dentro do produto! Fique na torcida!

Para saber os detalhes do Amuleto Seguro Premiado saiba que basta acessar o site abaixo, que conta com mais informações sobre o produto em que você terá a oportunidade de concorrer a muitos prêmios, de forma simples, do jeito que deve ser. São muitas oportunidades de você ser contemplado com o produto de seguro. Acesse o site agora mesmo e conheça o Amuleto Seguro Premiado, o seu seguro da sorte!

AMULETO SEGURO PREMIADOhttp://www.seguroamuleto.com.br/index.html