PontoXP.com - Dicas e Informações Gerais.





MITOS E VERDADES SOBRE DOAÇÃO DE SANGUE

Autor: Textual Conteúdo
Publicado em: Saúde

A cada dois minutos, pode diversos motivos, uma pessoa precisa de transfusão sanguínea de sangue no Brasil, a necessidade dos transplantes tem aumentando 58%, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados em 2009, tornando cada vez maior a necessidade de bancos de sangue complemente preenchidos nos hospitais. E o único jeito de suprir essa necessidade é por meio da contribuição da população ao doar e encher os hospitais. Mas mesmo sabendo da necessidade e do bem que se faz ao tornar-se doador de sangue, muitas pessoas têm dúvidas quanto ao procedimento e a doação em si, e com isso surgem diversos mitos sobre o ato. Confira quais são esses mitos e verdades sobre doação de sangue a seguir:

Principais mitos e verdades sobre doação de sangue

1. “Doar sangue emagrece

Mito: Não emagrece, não engorda e não vicia. A quantidade retirada a cada doação é de 450 ml por pessoa, e este volume será reposto rapidamente pelo funcionamento do seu organismo dentro de 24 horas depois da retirada. Por perder sangue por este momento, o doador é orientado a se hidratar para manter-se saudável, mas o sangue em uma pessoa saudável (pré-requisito para ser doador) é reposto tão rapidamente que mal dá tempo para recaídas.

MITOS E VERDADES SOBRE DOAÇÃO DE SANGUE

2. “Quem tem tatuagem não poderá mais doar sangue

Mito: Durante o período de um ano, necessário para que a tinta que entra no corpo pela aplicação da agulha de tatuagem na pele possa ter saído completamente do sangue não será possível mesmo que o sangue da pessoa seja doado, porém depois desse período é completamente normal realizar a doação. Normalmente o doador é perguntado sobre o período o tempo de sua tatuagem antes do procedimento.

3. “Usuários de drogas não podem doar sangue

Verdade: Funciona como os doadores tatuados, que precisam de um tempo para a desintoxicação do sangue, mas ao contrário deles, que tem época marcada para voltar a doar, os usuários de drogas precisam estar completamente limpos e realizar testes como o de HIV para checar se o sangue está puro depois do tratamento de desintoxicação. Usuários crônicos de drogas ilegais injetáveis são constantemente vigiados e são os que tem maiores restrições para a doação e mesmo que a pessoa não conte que é usuário na entrevista, o sangue não irá contaminar outras pessoas pois antes de ser utilizar deve passar por uma rigorosa avaliação para detectar impurezas, no caso de contaminação, ele é descartado.

4. “Pessoas com menos de 50 kg não podem doar sangue

Verdade: O volume de sangue retirado de cada doador deve ser proporcional ao seu peso, por isso uma pessoa com menos de 50 kg poderá sentir falta dos 450 ml padronizado das bolsas de sangue que precisam ser preenchidas. O sangue faria falta no organismo delas.

5. “Pessoas enfraquecem depois da doação

Mito: Logo após a doação, a pessoa receberá um lanche e recomendações para se hidratar, como citado anteriormente. No dia da doação é aconselhado também que a pessoa repouse, mas no dia seguinte poderá voltar a suas atividades normais, pois o sangue doado já foi reposto ao seu corpo.

Algumas pessoas podem ter reações como desmaios, mas estas são reações psicossomáticas, ou seja, o medo de retirar sangue ou até mesmo ver o líquido. Mas não há outras reações clínicas ou do corpo registradas.

6. “Quem doa sangue não pode para nunca mais

Mito: Há na verdade um período máximo que a pessoa pode doar, para as mulheres deve ser a cada 90 dias, e para os homens 60, mas isso é para controlar os estoques e mantê-los abastecidos, pois segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) se de 3 a 4% da população brasileira fosse doadora de sangue, não haveria esta necessidade, pois seria suficiente para manter os estoques. O número do Brasil atualmente ultrapassa um pouco o 1%.






PontoXP © 2006-2019 - Todos os direitos reservados.
Termos de uso | Contato | Anuncie| Assine os FEEDS RSS!