SINTOMAS E TRATAMENTO DE APENDICITE

SINTOMAS E TRATAMENTO DE APENDICITE

A apendicite é uma obstrução no apêndice, um órgão pequeno, que tem forma tubular, e está ligado ao cólon ou a primeira parte do intestino grosso. Ele fica localizado no abdômen inferior direito. A obstrução no apêndice resulta em um aumento de pressão no órgão, causando inflamação e problemas com o fluxo sanguíneo. Caso o bloqueio não seja tratado, a infecção pode acabar se espalhando por todo o corpo caso o apêndice se rompa. Os sintomas e tratamento de apendicite já são bastante conhecidos dos médicos, facilitando o diagnóstico dos pacientes que sofrem com a inflamação.  Entre os indícios da apendicite está inchaço e dor na área do abdômen, vômitos e náuseas, perda de apetite, constipação, febre ligeira, diarreia e incapacidade de eliminar gases.

Cada caso é um caso: apesar de bem conhecidos, nem todos os sintomas surgem todos de uma vez, mas a inflamação no apêndice é considerada uma emergência médica, pelo risco de espalhar a infecção por todo o organismo. O tratamento geralmente consiste na remoção do órgão, eliminando o problema pela raiz. A obstrução que causa a pressão no apêndice pode ser causada por um corpo estranho ou por fezes, mas também por tumor, nos casos mais graves.

Principais sintomas e tratamento de apendicite

O diagnóstico da apendicite pode ser mais difícil em idosos e crianças pequenas e seus sintomas podem variar muito de um paciente para outro. O que de comum ocorre em quase todos os casos é a dor ao redor do umbigo, na área abdominal. A dor pode ser um pouco vaga, mas com tempo deve se tornar mais grave e acentuada. Quando mais tempo o apêndice passar inflamado, maior a chance de se romper. Com isso, o paciente terá uma falsa sensação de alívio, mas se não for realizada cirurgia, a infecção vai inflamar a cavidade abdominal, aumentando a dor e deixando a pessoa em estado ainda mais grave. A dor pode piorar ainda ao tossir ou caminhar, por isso a dica é ficar mais quieto para ficar confortável. Com o desenvolvimento da doença, os sintomas podem ainda envolver vômitos, tremores, náuseas, perda de apetite, febre, diarreia, constipação e calafrios.

Como o apêndice até o momento ainda não foi associado a nenhuma tarefa vital para o funcionamento normal do organismo, o tratamento da apendicite fica restrito a remoção do órgão. Os médicos não costuma pensar duas vezes para realizar a cirurgia quando há qualquer indício da infecção. Se o diagnóstico e cirurgia forem realizados antes de o apêndice estourar, a evolução do pós-operatório é bastante positiva, alcançando recuperação em poucos dias.

Em torno de 15 dias, quando a cirurgia é realizada antes de haver qualquer complicação, como no caso do rompimento do apêndice inflamado, que pode espalhar a infecção por todo seu organismo, o paciente já está completamente recuperado, sem apresentar nenhuma sequela. O único cuidado necessário será evitar esforços físicos que podem forçar demais o processo de cicatrização.