DICAS PARA QUEM SOFRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

DICAS PARA QUEM SOFRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

A violência doméstica contra mulheres ainda é um problema que está no lar de muitas famílias. Retratado em muitos filmes, novelas e até mesmo notícias, o mais comum é que um número muito grande de mulheres siga sofrendo essas agressões em silêncio, sem atitudes com o intuito de parar o abuso, como pedidos de ajudo. Quem vê de fora fica confuso com o porquê dessas mulheres se calarem diante da humilhação que seus maridos as submetem. Como se trata de uma situação delicada, é importante conhecer 3 dicas para quem sofre violência doméstica, pois ninguém está imune a ser tratado abusivamente por quem um dia se amou.

Em vez de denunciarem os companheiros diante da polícia, muitas mulheres preferem sofrer caladas por terem vergonha de expor a situação que enfrentam em seu relacionamento conjugal. Há ainda quem não denuncie porque existe a esperança de que tudo não passa de uma fase ruim na relação.

Conhecer 3 dicas para quem sofre violência doméstica é importante porque mulheres nessa situação ficam com a autoestima comprometida, começando a se desvalorizar e sofrendo com graves consequências em seu estado emocional, o que acaba comprometendo várias áreas da sua vida, como problemas no trabalho e até dificuldade para lidar com os filhos.

Veja 3 dicas para quem sofre violência doméstica

1. Por que os companheiros agridem as mulheres?

Os principais motivos que levam os homens a cometerem violência contra suas mulheres são ciúmes e o uso de bebidas alcóolicas. Outras razões incluem traição, separação e falta de dinheiro. Os principais agressores costumam ser o marido ou o companheiro atual, mas também há casos de violência por parte de ex-maridos, ex-namorados e ex-companheiros.

2. Como não se calar?

A mulher precisa ter em mente que ela não merece a agressão que sofre, não importa qual a seja justificativa dada pelo companheiro, como algum erro que a mulher tenha cometido. A única forma de lidar com isso é superar a sua humilhação e procurar a polícia. Porém, muitas mulheres preferem continuar com o marido agressor, já que ele é também ajuda nas despesas da casa e tem uma forte ligação emocional com a mulher e seus  filhos.

Existem várias entidades de apoio, que podem ajudar a mulher a se manter financeiramente e conseguir se sustentar sem a ajuda do marido. Procure também a ajuda da família e de amigos, o que pode ser fundamental nesse processo de libertação. Lembre que há mulheres que sofrem com um agressor dentro de casa, enquanto os familiares nem sabem pelo que ela está passando.

3. Como agir quando alguém relatar que sofreu agressão doméstica?

Se alguém te procurar em busca de ajuda, tenha em mente que o agressor não é vítima e que deverá ser punido de acordo com a lei. Além disso, evite debochar da situação, pois isso pode piorar ainda mais a autoestima da vítima e fazer com que a situação pareça menos grave do que realmente é. Não dê razão ao agressor, independente dos motivos que ele tenha para o crime.

Jamais julgue a vítima se ela resolver dar mais uma chance ao agressor. Apenas tente aconselhar essa mulher, sem dizer que ela está errada em continuar com ele, afinal, é difícil ter ideia da ligação que há entre vítima e agressor. Dê apoio à vitima no que for necessário, realizando a denúncia, encontrando um lugar seguro para ficar, ajudando a procurar aconselhamento psicológico e a conseguir um advogado para cuidar do caso. E acompanhe a vítima até a delegacia ou ao hospital se for necessário, coletando informações e evidências importantes. Se você tiver alguma dúvida, contate o número 180.

Se você sofre ou conhece alguém que sofre violência doméstica, não deixe de fazer sua parte. As denúncias podem ser feitas na Delegacia da Mulher ou em delegacias comuns.