COMO ESCOLHER O MELHOR SEGURO DE VIDA

COMO ESCOLHER O MELHOR SEGURO DE VIDA

Como escolher o melhor seguro de vida? Você já pesquisou sobre esse assunto? Já sentiu necessidade de contratar o serviço ou está justamente nesse dilema? Não sabe o que levar em consideração na hora de escolher o serviço? Já que o principal objetivo de quem contrata um seguro de vida é garantir um mínimo de estabilidade financeira para sua família, é bastante comum que a escolha seja feita depois que os filhos nascem.

Porém, com tantas opções, pode ficar difícil saber qual o melhor seguro de vida e o que ele deve oferecer para ser realmente seguro. Por isso, na hora de escolher uma seguradora, é preciso avaliar o custo benefício de cada proposta e o que realmente é oferecido. Também é importante que o serviço supra as necessidades da família, ou seja, que seja quase personalizado, e não disponha de itens que certamente não correspondem à sua realidade.

As três modalidades mais comuns de seguro de vida são a individual, de grupo e dotal. Enquanto a segunda opção é oferecida para empresas, sindicatos e outros tipos de grupos, a total é quando existe o resgate. O seguro de grupo costuma ter custos reduzidos para funcionários, bem como garantias iguais para os segurados, mas não dispõe de resgate.

Já no seguro de vida total, o recebimento da indenização está relacionado com a saúde do segurado durante o prazo de vigência do contrato. Mesmo que ele morra antes do previsto pelo seguro, os beneficiários recebem o dinheiro. Os seguros individuais costumam ser os mais flexíveis e, por isso, os preferidos de quem pode investir no serviço. Com ele, o segurado escolhe a abrangência do seu contrato, podendo ser por indenização por morte ou invalidez, entre outras situações.

Dicas de como escolher o melhor seguro de vida

Na hora de saber como escolher o melhor seguro de vida, é preciso levar em consideração o que cada tipo de apólice oferece. Se, por exemplo, o seguro abrange indenização somente se houver casos de acidentes que deixem o segurado inválido parcial ou totalmente, mas ele morrer por causa natural, o direito ao seguro termina.

Também é preciso ser transparente com a seguradora na hora de fazer o contrato, sem esconder doenças pré-existentes, pois se a morte for causada por um desses problemas, a seguradora tem o direito de negar o benefício.

Além disso, as empresas também apostam em modalidades diferenciadas, como é o caso de seguradoras que dispõem de um contrato para mulheres, que contam com indenização total do valor da apólice nos casos de doenças como câncer de ovário, útero e mama.

Também vale à pena avaliar se está em tempo de fazer um seguro de vida. Pessoas com mais de 60 anos, por exemplo, ao contratar o serviço, vão pagar caro por ele. Uma dica, já que a questão é a segurança da família, é aplicar o dinheiro em fundos de investimentos de curto prazo.

Agora é só escolher o modelo de seguro de vida mais adequado para sua situação.