COMO DAR GORJETAS EM VIAGENS PARA O EXTERIOR

COMO DAR GORJETAS EM VIAGENS PARA O EXTERIOR

Pode parecer simples, mas dar gorjeta é uma prática que muda muito de um país para outro. Por isso, nem todos sabem como dar gorjetas em viagens para o exterior. Por exemplo, nos Estados Unidos e na França, a gorjeta é uma obrigação social. Se ao ser atendido em um restaurante em um desses países, você se recusar a dar a gorjeta, seu ato será visto como de extrema grosseria. Por outro lado, no Japão, por exemplo, oferecer esse tipo de gratificação em dinheiro para taxistas ou garçons é considerado uma grave ofensa.

No Brasil, não existe nenhuma obrigação, mas há alguns estabelecimentos em que é bastante comum receber gorjeta e os atendentes costumam esperar pela gratificação. Onde a gorjeta é bem vista, existem duas regras: a bonificação vai depender da satisfação do cliente, já que, caso o serviço não tenha agradado, não há o que gratificar. A outra regra é que, com exceção dos hotéis, dar a gratificação antes de receber o serviço não se trata de gorjeta, mas de suborno.

Aprenda como dar gorjetas em viagens para o exterior

Se você vai viajar e não sabe como dar gorjetas em viagens para o exterior, você pode aproveitar o recurso de um novo site que foi desenvolvido para ajudar a acabar com essas dúvidas. Bastante simples, o site chamado Tip This Much, algo como ‘gratifique este tanto’, em tradução livre, é muito fácil de usar e divide os hábitos e culturas da gorjeta nos mais diferentes países.

Por exemplo, os turistas que estiveram no Brasil para acompanhar a Copa do Mundo e que não tinham certeza do quanto dar de gorjeta foram avisados de que o costume é deixar uma gratificação de 10% do valor pago por um bom serviço. Na África do Sul, os visitantes estrangeiros são aconselhados a deixar entre 10% e 20% do valor da conta. Dividir a conta em países como Cingapura, Japão e China, por sua vez, é mais fácil, já que o site informa que a gorjeta não é esperada dos clientes nesses lugares.

Em um restaurante, são os garçons que recebem a gorjeta. A maioria dos estabelecimentos já inclui a taxa de serviço dos garçons na conta. Tal taxa pode ser superior aos tradicionais 10%. A recomendação para quem quer ter certeza de que uma quantia extra vai para o bolso de garçons, cozinheiros e ajudantes é entregá-la, em dinheiro, a quem atendeu à mesa. Quanto dar? 10% costuma ser o suficiente.

No hotel, são os carregadores de malas e as camareiras quem recebem as gorjetas. O valor deve ser proporcional ao esforço, considerando a quantidade de malas e a distância percorrida. Para as camareiras, deixe principalmente se você permanecer por mais de uma semana hospedado. Em hotéis médios, dê R$ 5,00, e nos luxuosos, entre R$ 10,00 e R$ 20,00, tanto para carregadores quanto para camareiras. No exterior, os funcionários de hotéis consideram uma obrigação dos hóspedes dar gorjeta. E não aceitam trocados.

No táxi em cidades do Brasil, dar gorjeta não é obrigatório, já que é até mais vantajoso para o taxista se o reconhecimento pelo bom trabalho for convertido em novas corridas. Embora a gorjeta aos taxistas brasileiros não seja comum, em muitos países ela é quase obrigatória. O valor gira em torno de 10%. Nos Estados Unidos, taxistas de Nova York esperam receber entre 15% e 20% do valor da corrida, por exemplo.

Pronto, agora você sabe como dar gorjetas em viagens para o exterior. Logo, não há motivo para cometer gafes.